O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Dicas

Manutenção e Conservação

Uma série de materiais diferentes é utilizada na construção de um imóvel e sua durabilidade poderá ser aumentada dependendo do uso correto e da boa manutenção a ele dedicada.
Como ocorre com qualquer outro produto, a manutenção do seu imóvel, além da técnica utilizada e da qualidade dos materiais empregados na sua construção, depende basicamente do uso adequado de seus equipamentos e componentes.

 Estruturas

Numa edificação realizada em concreto armado, não é possível a retirada total ou parcial de pilares, vigas ou lajes. De forma, não se deve sobrecarregá-los além dos limites previstos no projeto original.
É normal que pôr algum tempo após o término da construção, apareça microfissuras nas paredes. Não se preocupe se isso acontecer. Trata-se de uma acomodação natural do edifício ao terreno.

 Alvenaria

Antes de perfurar paredes para colocação de quadros, armários, prateleiras ou outros objetos, consultem os projetos do seu imóvel e detalhamentos. Procedendo assim, você evitará furar as tubulações de água ou energia elétrica, bem como pilares e vigas de mais difícil perfuração.
É sempre preferível usar furadeiras e buchas com parafusos, evitando-se pregos e martelo.
Importante: No seu imóvel poderá existir parede portantes. Não será permitida a abertura de vãos, demolições parciais e ou totais sem prévia consulta ao Arquiteto ou ao Engenheiro responsável.

 Revestimento: Azulejos e Cerâmicas

A limpeza inicial deve ser executada após duas semanas do final da aplicação/rejuntamento. Utilizar água (de preferência quente) e detergente neutro, espalhando com abundância e esfregando rigorosamente com escova de cerdas de náilon ou cerdas macias. Também existem no comércio produtos específicos para limpeza pós-obra. Esses produtos devem ser utilizados com atenção quanto à diluição, deve ser seguida a proporção indicada pelo fabricante pois a não diluição correta danifica pisos e azulejos.
Na limpeza, evite lavagens gerais e tome cuidado nos pontos de encontro das paredes com os tetos.
Evite o uso de detergentes agressivos, produtos aditivados com limão, flúor ácido fluorídrico/muriático, soda cáustica, bem como vassouras ou vassourinhas de piaçava. São procedimentos que atacam o esmalte das peças ou retiram o seu rejuntamento. O melhor sistema de limpeza é o uso de pano ou esponja macio, umedecidos em sabões neutros ou produtos específicos para este fim.

Dica: Varrer ou passar aspirador no piso antes de passar o pano, evita que ele fique encardido.
Para facilitar a limpeza de resíduos mais específicos (vinho, sangue, café, graxa, canetas, lápis, óleos e etc.), procure realizar a limpeza o mais rápido possível.


 Granitos

Limpe os granitos com pano umedecido com sabão neutro ou com produtos específicos para esse tipo de serviço.
Evite o uso de detergente corrosivo, sapólios ou similares que atacam a superfície do material, ocasionando a perda de seu brilho, e o contato com frutas ácidas e vinagres, que podem mancha-lo.

Pedras Decorativas

Pedras do tipo Carranquinha devem ser limpas com sabão neutro.

 Forros de Gesso

Para evitar que se quebrem, evite provocar qualquer tipo de impacto direto sobre os mesmos. Do mesmo modo, deve ser evitada a colocação de ganchos ou suportes para dependurar vasos ou outro tipo de objeto.
Os forros de gesso não possuem resistência suficiente para suportar esse tipo de peso.
Evite o contato com água.


 Instalações Elétricas

Cada unidade residencial possui no mínimo um quadro de distribuição de circuitos, onde estão colocados um disjuntor geral e vários disjuntores (Básicas) secundários que protegem os diversos circuitos do imóvel. Este quadro é rigorosamente projetado e executado dentro de normas de segurança, não podendo ter suas chaves alteradas pôr outras de diferente capacidade. No quadro de distribuição existe um esquema identificando todos os circuitos. Para evitar acidentes, é recomendável não abrir furos perto do quadro de distribuição.
Em caso de sobrecarga momentânea, o disjuntor do circuito atingido se desligará automaticamente. Neste caso bastará religa-lo e tudo voltará ao normal. Caso ele volte a desligar, é sinal de que há sobrecarga contínua ou que está ocorrendo um curto em algum aparelho ou no próprio circuito. Neste caso, é preciso solicitar os serviços de um profissional habilitado, não se devendo aceitar conselhos de leigos ou curiosos.
Sempre que for fazer manutenção, limpeza, reaperto nas instalações elétricas, ou mesmo uma simples troca de lâmpadas, desligue o disjuntor correspondente ao circuito ou, na dúvida, o disjuntor geral. Lembre-se que o imóvel foi dimensionado para uso dos aparelhos instalados ou previstos em projeto e para os eletrodomésticos comumente usados em unidades residenciais.
As instalações de chuveiros, lustres ou similares deverão ser executadas por técnico habilitado, observando-se em especial o aterramento, voltagem, bitola, qualidade de fios, isolamento, tomadas e plugs a serem empregados na instalação dos equipamentos.
Antes de adquirir aparelhos elétricos, verifique-se o local escolhido para instalar os mesmos é provido de instalação elétrica adequada para funcionar nas condições especificadas pelo fabricante.
É sempre importante verificar se a carga do aparelho a ser instalada não sobrecarregará a capacidade de carga elétrica da tomada e da instalação (fiação do disjuntor). Evite a utilização de benjamins (dispositivos com que se ligam vários aparelhos a uma só tomada), pois eles provocam sobrecargas. Quando são instalados armários próximos às tomadas, é comum os marceneiros recortarem a madeira e reinstalarem as tomadas no próprio corpo do armário. Nesses casos é preciso que o isolamento seja perfeito e que o fio utilizado seja compatível com a instalação original.
Em caso de incêndio, desligue a chave geral do quadro de distribuição.
Na cidade de Ribeirão Preto, o pedido de ligação de energia elétrica em seu imóvel deve ser requerido a CPFL – Cia Paulista de Força e Luz

 Instalações Hidro sanitárias

Essa é uma das partes do imóvel que requer maior cuidado, pois o seu mau uso pode acarretar entupimentos e outras avarias de difícil e custoso reparo.
Leia com atenção as recomendações para sua conservação e transmita-as as demais pessoas da família ou residentes do imóvel.
Hidráulicas: O sistema de alimentação de água do imóvel é constituído pôr tubulações principais (prumadas) que trazem a água da caixa ou reservatório superior, e de ramais que a distribuem (fria ou quente) para os diversos pontos nos cômodos apropriados.
Nos banheiros, cozinha, WC e área de serviço, existem registros localizados nas paredes, que permitem interromper o fornecimento de água em determinado ambiente em caso de vazamento ou necessidade de manutenção.
Antes de executar qualquer perfuração nas paredes, consulte as plantas e detalhes, para evitar danos na rede hidráulica. Outra prática eficaz é não perfurar numa linha horizontal e ou vertical imaginária que passa pelos pontos de hidráulica (registro, torneira, ducha etc.).
Para pendurar algum acessório, faça uso de furadeira e de bucha com parafusos, que devem ser colocados sempre nas juntas dos azulejos. Para limpeza de cubas de aço inox em pias, use apenas água e sabão neutro, evitando passar qualquer tipo de esponja de aço.
Vazamentos e ou infiltrações, podem acarretar as seguintes situações indesejáveis:

• Deterioração dos componentes da construção;
• Oxidação de ferragens no concreto armado;
• Trincas, fissuras e ou rachaduras na alvenaria;
• Deterioração da instalação elétrica;
• Aumento de pesos na estrutura e recalque;
• Ruptura de porções de terreno provocando deslizamentos e afundamentos;
• Danos a elementos externos à edificação (automóveis, armários, etc.).


Água quente: Aquecidas através de um aquecedor (solar ou elétrico) que, a partir de tubulações especiais de cobre isoladas termicamente dos demais componentes da construção, chegam até o destino final.
Os problemas mais comuns encontrados nas tubulações de água quente, alem dos vazamentos, à semelhança do que pode ocorrer na água fria, é a falta de isolação térmica, que normalmente danifica os materiais próximos, tais como azulejos e ou revestimentos, pois a água quente alcança temperaturas elevadas. O ponto mais crítico desse tipo de tubulação é a sua junção com as torneiras onde há modificação do material (de cobre para ferro ou PVC).

Sanitários: A rede de esgoto é muito importante de uma residência. Alem das prumadas coletoras principais existem os ralos secos e os ralos sifonados (para impedir o vazamento da água e o refluxo do mau cheiro). O ralo central dos banheiros serve a todos os equipamentos, menos os vasos sanitários, que possui sifão em sua própria estrutura. Todos os ralos possuem grelhas de proteção para evitar que detritos maiores caiam em seu interior, ocasionando entupimento. Evite deixar os ralos sem estas grelhas de proteção.
Nunca jogue gordura ou resíduos sólidos nos ralos das pias e lavatórios. Use sempre a grelha de proteção que acompanha as cubas de inox das pias da cozinha.
Evite o uso excessivo de sabão nas máquinas de lavar (roupas e louças). Para evitar o retorno da espuma, é recomendável o uso de produtos biodegradaveis.
Estando o imóvel ha muito tempo sem uso, convem jogar limpa nos ralos e sifões para evitar o mau cheiro proveniente da rede de esgoto.
Para prevenir entupimentos ou mesmo desentupir pia se lavatório, use apenas o desentupidor de borracha. Nunca utilize materiais á base de soda cáustica, arames ou ferramentas não apropriadas.
Caso não consiga resultado, chame um profissional ou empresa especializada.
É importante proceder á limpeza periódica de todos os ralos e sifões das pias e lavatórios. Esse trabalho também deve ser confiado, de preferência, a um profissional ou empresa especializada. Periodicamente, é também aconselhável proceder a limpeza das caixas de passagem externas, inclusive a caixa de gordura, que com o passar do tempo podem acumular "areia" e obstruir as tubulações de saída.

 Louças

Não utilize qualquer aparelho sanitário como ponto de apoio, pois ele pode trincar, ocasionando ferimentos graves.
Para evitar entupimentos, não joguem nos vasos sanitários absorventes higiênicos, fraldas descartáveis, cotonetes, preservativos, grampos ou outros objetos. Ate mesmo papel higiênico deve ser evitado no vaso.
Para limpeza de louças sanitárias, utilize água, sabão, e detergentes,
Nunca faça uso de pós abrasivos e de esponjas de aço.
Todas as válvulas de descarga dos vasos sanitários possuem regulagem do fluxo de água, e registro próprio.
Caso necessário, chame a assistência técnica do fabricante.

 Metais

Não rosqueie as torneiras e registros alem do necessário, pois isso pode danificar as vedações internas, e provocar vazamento.
Com o desgaste natural proveniente do manuseio, os "courinhos" das torneiras e registros devem ser trocados periodicamente, para proporcionar sempre uma boa vedação e evitar vazamento.
Em caso de necessidade, os acabamentos dos registros podem ser trocados por outros do mesmo modelo ou diverso, desde que do mesmo fabricante, sem que haja necessidade de substituir a sua base.
Evite apoiar nas torneiras e registros. Evite também batidas dos tubos flexíveis que alimentam os lavatórios e caixas dos vasos sanitários, pois são peças sensíveis que podem ocasionar vazamento.
Proceda periodicamente á limpeza dos aeradores (bicos removíveis) das torneiras, pois é comum o acumulo de resíduos provenientes da própria tubulação. Os cromados e metais sanitários devem ser limpos com água e sabão neutro, podendo ser polidos com algum produto indicado para este fim.
Nunca use para sua limpeza esponjas de aço ou similares.

 

Os erros mais frequentes em uma obra

 

Em uma construção a probabilidade de ocorrerem problemas é enorme, por isso destacamos alguns erros frequentes que podem ser evitados com medidas simples.

 Medidas equivocadas

Em uma construção o que mais se erra é medida, por isso é necessário sempre conferir tudo, muitas vezes as medidas dos projetos são alteradas na obra, por isso toda medida enviada aos fornecedores deve ser confirmada com medição na obra.

 Leitura do projeto

Outro fator gerador de grandes problemas na obra é a falta de entendimento do projeto, muitas vezes o projeto que esclareceria todas as dúvidas não é interpretado corretamente ou está jogado em algum canto da construção.
O projeto é a base de tudo, ele é que evitará a maioria dos erros na obra e deve ser consultado constantemente.

 Alterações no projeto

Reuniões na obra com o cliente provocam alterações no projeto. Quando isso ocorre pode ser que diversas especificações e compras de produtos já foram definidas e encaminhadas e quando essas alterações não são comunicadas aos fornecedores, problema! Sabe aquele gesso que ficou 5 mm mais baixo do que previsto? Na hora de instalar os armários da cozinha...

 Pontos de elétrica e hidráulica

Um dos erros mais comuns em obras, fator gerador de grandes problemas e de custos são alterações dos pontos de elétrica e hidráulica. Tudo que estava previsto e detalhado no projeto é alterado, a cuba que muda de posição ou o micro-ondas que ficaria em uma parede vai ser colocado em outra...muitos fornecedores já se encarregam de checar esses pontos antes de iniciar a fabricação ou instalação de armários e de tampos e cubas, isso impede erros e consequentes novos custos.

 Sequenciamento de etapas

Em uma construção o que sempre ocorre é que um atrapalha o outro, o marceneiro vai estragar o trabalho do pintor; o pintor vai estragar o trabalho do eletricista...e assim por diante. O correto sequenciamento de etapas na obra evita esse problema, ou minimiza os estragos. Um dos maiores desafios dos profissionais, o sequenciamento de etapas é instrumento fundamental na organização do ambiente em uma obra.

 Especificação inadequada

Ao sair da piscina, o proprietário escorrega e torce o tornozelo. Na verdade, o revestimento especificado era inadequado para áreas molhadas. Isso também é uma preocupação do profissional da área, a indicação é feita ao cliente, em alguns casos não convém arriscar.

 

Mesmo com toda orientação profissional, dificilmente existirá uma construção perfeita onde não se tenha que refazer algum serviço, o melhor é tentar evitar tais erros ao máximo, evitando desperdício de tempo e dinheiro. O mais importante é que o resultado final agrade ao proprietário e sua família.

 

 

Currículo      |      Projetos      |      Clientes      |      Dicas      |      Contato
Rua Angélica, 186 - Jd. Macedo - 14091-110 - Ribeirão Preto - SP
Tel.: (16) 3630.4190
Rodapé
Trip Propaganda